Ilustração de Adria Meira

Como os Bolcheviques venceram

Alexander Rabinowitch (Tradução de Rejane Carolina Hoeveler.) Na minha contribuição, quero revisitar as principais conclusões dos meus escritos sobre 1917, especialmente no que se refere à questão espinhosa e ainda profundamente politizada de como os Bolcheviques venceram a luta pelo poder na Petrogrado de 1917. No entanto, iniciarei com algumas palavras sobre as...

Ilustração de Isabel Fuchs

O papel da Fundação Roberto Marinho na busca do consenso capitalista

  Otávio Augusto Cunha A Fundação Roberto Marinho (FRM) foi criada em 1977 por Roberto Marinho (proprietário das organizações Globo) na cidade do Rio de Janeiro, desde então tem tido uma atuação de destaque ao articular projetos com entes públicos e privados Brasil a fora, sobretudo nas áreas de educação e cultura. O presente artigo tem como objetivo uma análise da ação política e ideológica exercida pela FRM desde seu nascimento até os dias atuais. Partindo de uma...

Colagem de Singh Bean

A comuna de Baku

Ronald Suny (Tradução de Ivan Figueiredo) A maioria dos relatos sobre a Revolução Russa conta a história de uma cidade – Petrogrado, onde o regime Romanov colapsou em Fevereiro e os Bolcheviques chegaram ao poder em Outubro. Tão decisivas quanto os trabalhadores, mulheres, e soldados foram na capital, pessoas de toda a Rússia iniciaram seus próprios movimentos revolucionários ao longo desse ano. Mil e quinhentas milhas ao sudeste, na cidade de Baku, etnia, religião e classe...

Ilustração de Adria Meira

Nem uma a menos: por uma greve internacional de mulheres em 2018

O Blog Junho publica em primeira mão a tradução do chamado elaborado pelo movimento Ni una menos, da Argentina, para a construção de uma nova greve internacional de mulheres no 8 de março de 2018. (Tradução: Camila Ribeiro) As mulheres do mundo estão em um processo de revolução existencial. Em 8 de março de 2017, nós nos unimos em uma demonstração de força: realizamos a primeira greve internacional de mulheres, uma ação conjunta transnacional, multilíngue, interseccional e...

Bordado de Pedro João Cury

Depois do consenso de Fevereiro

Christopher Read (Tradução de Renata Maffezoli e Angelo Regis) Durante a Revolução de Fevereiro, o Império Russo alcançou um grau de unidade sem precedentes. Todas as classes, etnias e nacionalidades deram boas-vindas à derrubada de Nicolau II. Armênios, chechenos, chukchis, finlandeses, georgianos, cazaques, poloneses e uzbeques celebraram a queda do czar em conjunto com camponeses, intelectuais, trabalhadores, banqueiros e, inclusive, alguns latifundiários. Mas essa solidariedade...

Ilustração de Marlon Anjos

Bonapartismo: uma proposta de síntese conceitual

Felipe Demier Na ampla e heterogênea literatura marxista de cunho mais propriamente político, o vocábulo bonapartismo e suas variantes (bonapartista, bonapartistas, semibonapartismo, filobonapartismo etc.) apresentam uma frequência perceptível, ainda que, diferentemente de outros tantos mencionados à porfia e indiscriminadamente, não possam ser tomados propriamente como termos batidos. Suas não tão correntes aparições nos permitem, entretanto, perceber que distintos tratos, alguns...