Artistas do Blog Junho

artistas_junho

 

A política rebelde! A cultura rebelde!

Mesmo independentes, política e cultura caminham juntas sempre. Os ventos de junho trouxeram o desafio da mudança radical da sociedade brasileira e mundial. A este corresponde o desafio de uma cultura radicalmente livre em suas premissas, criativa em seu percurso, além de transformadora em seus propósitos.
Pensando nisso, o Blog Junho procura oferecer, para cada artigo, uma imagem que possa complementar seu sentido ou chamar a atenção para aspectos menos evidentes do texto. Com isso, também chamar atenção para as diferentes linguagens nas quais é possível construir a crítica da sociedade em que vivemos.
Conheça abaixo as/os artistas que já fazem parte deste desafio.
Colabore você também como artista do Blog Junho!

 

 

Adria Meira

Adria Meira é estudante de Comunicação Social – Midialogia (UNICAMP). Artista em formação, seu trabalho de design gráfico e fotografia é uma tentativa de relacionar produção artística com política.

 

 

Alfi Vivern

Alfi Vivern é escultor e gravador. Seu trabalho está espalhado por praças, museus, galerias e coleções privadas, no Brasil e pelo mundo.

 

André Rodrigues

Cientista político, doutor pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ. Tem interesse pelas relações entre a política e a literatura. Desenhista e fotógrafo amador

 

 

Antonio Maximo

Carioca de Vila isabel, Rubro-Negro, graduado em História pela UERJ, ex-desenhista de arquitetura, ex-arte-finalista de Bloch Editores (antiga Manchete), ilustrador, chargista, cartunista e caricaturista.

Celly Inatomi

Celly Inatomi é cientista política e professora de sociologia e teoria do Estado. Nas horas vagas, desenha e pinta, algo que faz desde criança. Desenha especialmente sobre o tema “mulher”, em especial gosta de construir personagens, suas ou de escritores.

 Christiano Tambascia

Christiano Tambascia é professor de antropologia na Universidade Estadual de Campinas. Começou a desenhar depois que uma amiga o convenceu de que um olhar mais imaginativo e menos realista sobre as coisas poderia ajudar a repensar a etnografia – e também a se divertir no processo.

 

Denis Pinho

Denis Pinho, grafiteiro de São Bernardo do Campo – ABC Paulista.

 

 

D.Muste

Daniela Mussi atua como D. Muste desde 2015 através de colagens, fotomontagens e desenhos.

 

 

Erick Dau

Fotojornalista freelancer. Seu trabalho esta ligado aos movimentos sociais, com especial ênfase nas lutas por habitação, justiça social e contra a violência policial.

 

 

Flora Próspero

Ilustradora, fotógrafa e estudante de design gráfico. Nascida em Minas Gerais, atualmente reside em São Paulo, onde registra o movimento de arte urbana e sua própria visão da cidade, além da produção de desenhos e edições de imagens.

 

 

Heitor Vilela

Jornalista cultural, tem 22 anos e mora em Goiânia. É chargista e ilustrador, trabalhando principalmente com nanquim e aquarela. Seu trabalho está em zines, lambes, praças e becos da cidade, mas também rasgado e entulhado, ajudando a botar fogo em uma barricada.

 

Humberto Tutti

Artista visual. Seu trabalho permeia as linguagens da pintura, desenho e fotografia.

 

 

Jaime Prades

Artista autodidata, brasileiro, nascido na Espanha em 1958, vive e trabalha em São Paulo desde 1975. Nos anos 80 integrou o coletivo TUPINÃODÁ, grupo que é hoje referência histórica de ações artísticas contemporâneas nos espaços públicos urbanos. Com mais de 30 anos de trabalho produziu intensa obra de pinturas, esculturas, desenhos, objetos e instalações. Seu traço marcante é rapidamente identificado apesar da grande variedade de suportes e linguagens que criou devido à sua permanente experimentação. Sua obra está agrupada em cinco séries principais: Máquinas, Totens, Absurdos, Xamânicos e Natureza Humana. Estes grupos organizam os principais temas desenvolvidos pelo artista, respectivamente: a desumanização; a ancestralidade; a alegria; o sagrado; a loucura materialista. Como disse o crítico Fabio Magalhães: “A exposição DENTRO de Jaime Prades, representa um salto significativo na sua expressão plástica.” Nessas novas pinturas, realizadas a partir de julho de 2015, o artista nos coloca diante de uma experiência profunda de percepção de outras camadas de consciência.

Jessica Leigh

Jessica nasceu na Carolina do Norte, EUA, e formou-se em Studio Arts em Nova York. Trabalhou em algumas áreas no campo das artes, serigrafia em camisetas para bandas e artistas, costura para uma empresa que recicla tecidos, e agora o foco recai sobre a ilustração. Ela trabalha com lápis, nanquim e aquarela e às vezes em acrílico.

João Paulo de Carvalho

 

Lyn Nasc

 

Luana Kava

Publicitária, apaixonada por fotografia e design gráfico

 

Mácia Teixeira

Alagoana de nascença e de espírito. Atualmente morando em Brasília, onde é servidora pública e ilustradora dos materiais didáticos da FUNDACENTRO/Ministério do Trabalho. Artista plástica, desenhista, designer gráfica, (contista e poetiza quando a inspiração bate) e estudante de Filosofia na UnB.

Maria Inés Di Bella

Escultora, especialista no trabalho com bustos e esculturas em bronze e mármore.

 

 

Marlon Anjos

Neoísta. Expressa-se por meio de desenhos e pinturas desde 2008.

 

 

Pierre Lapalu

Nasceu em Curitiba, 1985, é artista visual formado em Gravura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP). Trabalha com ficções, apropriações, processos e questões institucionais, através de desenhos, fotografias e arte digital.

 

Pedro João Cury

Sociólogo, cientista político e artista plástico. Desenvolve seu trabalho itinerante (Escola = + ≠) na formação do jovem artesão-aprendiz, disponibilizando a arte a serviço da inclusão social.

 

Oadilos

Isadora é artista visual e publica seus trabalhos na internet como Oadilos. Trabalha sobretudo com colagens e ilustrações, e usa a arte pra expressar sentimentos turbulentos e tudo o mais que der na telha

 

Ricardo Flóqui

Cartunista e sociólogo, não necessariamente nessa mesma ordem, mas necessariamente as duas coisas ao mesmo tempo. Colabora com sindicatos e movimentos sociais, como o MTST.

Singh Bean

Nasceu em São Paulo, cursou Produção Musical e leva festivais de música e viagens a sério. Faz colagens há alguns anos para ilustrar pensamentos e sentimentos e não pretende parar de recortar tão cedo.