Fotografia de Erick Dau

Para além da marolinha: a crise e a onda conservadora no Brasil

Demian Melo Uma análise dialética deve evitar entender a contradição como uma relação aritmética, onde a preponderância de um pólo deva implicar necessariamente na fraqueza relativa do outro. Na teoria da hegemonia de Gramsci, por exemplo, a relação entre coerção e consenso não implica que uma alta dose de consenso terá como par procedimentos de coerção mais soft. Vejamos um caso extremo. Na experiência do fascismo histórico, Mussolini e Hitler lideraram regimes políticos...

Ilustração de Marlon Anjos

“Escola sem partido” ou escola com “partido único”?

Demian Melo Não é de hoje que a direita obscurantista vem fazendo uma tenaz pregação contra o que chamam de “doutrinação nas escolas”. Todavia, o assunto nunca tinha tido tanta repercussão como hoje. Dois projetos de lei (no 867/2015 e no 1.411/2015) de deputados do PSDB pretendem impedir o que chamam de “assédio ideológico” de professores perante seus alunos. Trata-se de um enorme ataque à autonomia pedagógica dos professores, baseada numa concepção tacanha – mas não...

Ilustração de Marlon Anjos

Corrupção e pequena política

Rejane Carolina Hoeveler Demian Melo “Grande política (alta política) – pequena política (política do dia-a-dia, política parlamentar, de corredor, de intrigas). A grande política compreende as questões ligadas à fundação de novos Estados, à luta pela destruição, pela defesa, pela conservação de determinadas estruturas orgânicas econômico-sociais. A pequena política compreende as questões parciais e cotidianas que se apresentam no interior de uma estrutura já...

Ilustração de D. Muste

Ellen Wood e o conceito de revolução burguesa: nota crítica

Demian Melo Há uma contribuição inestimável no trabalho da historiadora e politóloga norte-americana Ellen Meiksins Wood. Suas intervenções em debates como o da crítica às abordagens pós-modernas nos estudos históricos e na demolição da meta-narrativa liberal para a origem da democracia contemporânea são parte obrigatória da boa literatura marxista publicada no Brasil nas últimas décadas.[1] Lembro da força que a leitura de seus textos teve em minha formação no bacharelado...

Imagem por Marlon Anjos

“O dia que durou 21 anos” e o caráter anti-nacional do golpe de 1964

Demian Melo e Rejane Hoeveler Após 49 anos do golpe que depôs o governo João Goulart em 1964, surge mais uma contribuição cinematográfica ao quente debate sobre a ditadura militar brasileira. O dia que durou 21 anos foi dirigido por Camilo Tavares, filho do jornalista Flávio Tavares. Também co-roteirista, Flávio é um dos 15 presos políticos que foram trocados pelo embaixador americano Charles Elbrick, no sequestro organizado pela ALN e pelo MR-8 em 1969.[1] Trata-se de uma versão...