Bordado de Pedro João Cury

O golpe de Kornilov

Paul Le Blanc (Tradução de Macário.) Houve uma época em que o general Lavr Kornilov e Alexander Kerensky foram considerados heróis da Rússia. Historiadores conservadores descrevem Kornilov como um honorável patriota e soldado profissional, enquanto historiadores liberais nos contam sobre Kerensky, advogado idealista e eloquente, que desejava transformar a Rússia em uma vibrante e democrática república. Após a abdicação do Czar Nicolau II, os dois juntaram forças – Kerensky como...

Ilustração de Jaime Prades

Alguns problemas do conceito de totalitarismo

Demian Melo O termo totalitarismo emergiu no próprio vocabulário político do fascismo e do antifascismo nas décadas de 1920 e 1930. Antifascistas italianos como Giovanni Amendola, Lelio Basso e Luigi Sturzo utilizaram o termo para se referirem à ditadura de Benito Mussolini, e este, ao lado do filósofo neoidealista Giovanni Gentile escreveram num verbete à Enclopédia Italiana que um dos objetivos do regime fascista era a instauração do totalitarismo. Mesmo no âmbito do marxismo, o...

Ilustração de Adria Meira

“Trotski: uma biografia”, de Robert Service

Kevin Murphy (Traduzido por Marcio Lauria Monteiro e revisado por Morgana Romão). Setenta anos após sua morte, a habilidade de Leon Trotsky em polarizar o debate acadêmico permanece incomparável. Retratado como um firme oponente da ascendente burocracia ou como não sendo melhor do que Stalin, sua vida constantemente se entrelaçou com as questões centrais que atravessaram a era revolucionária. A extensa biografia de Robert Service sobre Trotsky certamente irá reavivar a discussão. A...

Ilustração de Antônio Máximo

Os dias de julho

Daniel Gaido (Tradução: Nicole Luy e Mozart Pereira) Em 1917, a Rússia tinha mais de 165 milhões de cidadãos, dos quais apenas 2,7 milhões viviam em Petrogrado. A capital tinha 390 mil trabalhadores fabris – sendo um terço de mulheres –, 215 a 300 mil soldados na guarnição, e cerca de 30 mil marinheiros e soldados estacionados na base naval de Kronstadt. Na sequência da Revolução de Fevereiro e da abdicação do Czar Nicolau II, os sovietes, liderados pelos Mencheviques e pelos...

Fotografia de Humberto Tutti

Violência e revolução em 1917

Mike Haynes (Tradução de Sergio Domingues e Fabiane Lontra) Vivemos em um mundo de violência e não podemos deixar de tratá-la politicamente. Em 1917, a violência da guerra espalhava-se por toda parte. Perto do final da sua História da Revolução Russa, Trotsky escreveu: “Não é notável que aqueles que falam com mais indignação sobre as vítimas da revolução social são geralmente os mesmos que, se não diretamente responsáveis pelas vítimas da Guerra Mundial, as prepararam e...

Fotografia de Luana Kava

Avaliando a social-democracia revolucionária: uma resposta a Duncan Hart

Eric Blanc (Traduzido por Marcio Lauria Monteiro) Antes de tudo, gostaria de agradecer ao camarada Duncan Hart por sua contribuição “Lições da Finlândia: Responda a Eric Blanc” [1]. Embora eu não compartilhe da sua análise, concordo que uma discussão séria sobre a Revolução Finlandesa é útil para os marxistas hoje. Embora algumas das críticas de Hart ao Partido Social-Democrata finlandês (SDP) sejam bem fundamentadas, argumentarei aqui que seu texto caracteriza de forma...