Ilustração de Jaime Prades

Mercado editorial e universidade: Mário Pedrosa, um caso exemplar?

Josnei Di Carlo Com o lançamento do livro Pas de politique Mariô!: Mário Pedrosa e a política, de Dainis Karepovs, pela Ateliê Editorial em conjunto com a Fundação Perseu Abramo, poderíamos nos perguntar sobre a relação entre o mercado editorial e a universidade, caso atentarmos para um fato: entre 2001 e 2016, foram defendidas 19 dissertações e três teses sobre Mário Pedrosa (1990-1981), com elas sendo antecedidas, de 1991 a 2001, por cinco livros sobre ele e por quatro livros...

Ilustração de Antônio Máximo

A contribuição de Losurdo à crítica da historiografia revisionista

Demian Melo Nesse ano do centenário da Revolução Russa, a editora Boitempo disponibilizou ao público brasileiro uma das mais importantes contribuições à crítica da historiografia revisionista das revoluções, Guerra e Revolução (LOSURDO, 2017), do filósofo italiano Domenico Losurdo. O livro em tela foi originalmente publicado em 1996 com o título de Il revisionismo storico: problemi e miti (LOSURDO, 1996), mas recebeu em inglês uma nova edição ampliada em 2015 (LOSURDO, 2015)...

Ilustração de Isabel Fuchs

Os bolcheviques e o antissemitismo

Brendan McGeever (Tradução de Matheus Carvalho e Eustácia Soares.)  Manhã, 25 de outubro de 1917. Os trabalhadores ocupam pontos estratégicos nas ruas fustigadas pelo vento de Petrogrado. No Palácio de Inverno, o líder do Governo Provisório, Alexander Kerensky, aguarda ansioso pelo seu carro de fuga. Do lado de fora, a Guarda Vermelha controla a estação telefônica central. A tomada de poder por parte dos bolcheviques é iminente. Não há luz nem telefone no palácio. De sua janela...

Ilustração Jaime Prades

Fome e revolta: exploração de classe e o protesto popular

  Kaio César Goulart Alves “O carioca é envenenado diariamente com os gêneros adulterados; é perseguido pela fome, porque pelos preços atingidos pelos alimentos se vê forçado a não comer; se não atura as veleidades pagãs de um imperador, suporta diariamente o peso das ambições desregradas dos homens de negócios que preparam trusts, e organizam com o mais franco cinismo a alta dos gêneros alimentícios ou das mercadorias indispensáveis à sustentação da vida”...

Ilustração de Marlon Anjos

As duas “diretas já”

Paulo Gajanigo No dia 18 de março de 2016, durante o primeiro ato contra o impeachment no Rio de Janeiro, duas sensações me marcaram. Era um ato incógnito, ninguém sabia se seria grande ou não, muitos não sabiam se iam ou não. Era uma novidade, um nó na conjuntura e em nossas mentes. Os acostumados a irem em atos nos últimos anos ficaram receosos em atender um chamado que incluía lideranças petistas. Não sabíamos o que seria o ato e nem quem exatamente encontraríamos. Foi grande...

Ilustração de Lyn Nascimento

A demolição do Cortiço Cabeça de Porco: a mesma história, mas há 120 anos

Yuri Lueska “é preciso dar voz aos silêncios da história, essas terríveis pausas em que ela se cala e que são exatamente seus aspectos mais trágicos” (Jules Michelet)  O historiador Sidney Chalhoub aponta, nos últimos anos do império, a existência de uma cidade negra construída por cativos no Rio de Janeiro[1]. Essa cidade negra é a politização do cotidiano pelos escravos. Um processo inerente a constituição da multidão na outrora capital do Império, pois, com o surgimento...