Ilustração de Ricardo Flóqui

O Ministério “puro-sangue” de Temer: uma reorientação do aparato estatal

 Marco Pestana e Rejane Carolina Hoeveler Com o esgotamento do regime ditatorial instalado em 1964, marcado pelo longo processo de redemocratização, a transição para uma modalidade de dominação de classes assentada em uma ampliação da importância relativa do consentimento dos subalternos exigia a constituição de um aparato estatal capaz de expressar esse consentimento. Em especial, a crescente organização – e, em alguns casos, radicalização – de diversos movimentos e setores...

Fotografia de Erick Dau

Luta de classes nas cidades: David Harvey e as “formas secundárias de exploração”

Marco Pestana Ao longo de mais de quarenta anos, o geógrafo britânico David Harvey tem sido um dos mais profícuos teóricos a operar dentro das fronteiras do marxismo. De sua vasta e diversificada obra, destaca-se como uma das contribuições fundamentais seu esforço para integrar de forma orgânica a dimensão espacial – em especial, o espaço urbano – à teoria marxiana da dinâmica da reprodução do capital[1]. Na esteira da crise econômica mundial detonada em 2007, cujo epicentro...

Ilustração Antonio Máximo

Onde capitalismo e racismo se cruzam: a segregação sócio-racial no Rio de Janeiro

Marco Pestana Em novembro de 2015, ganharam certa repercussão – sendo, inclusive, objeto de reportagem da BBC[1] – os “mapas raciais de pontos” da cidade do Rio de Janeiro, produzidos por Hugo Gusmão, estudante de graduação em Geografia da USP. Sinteticamente, os mapas consistem na divisão do território do município em pequenas áreas, as quais são preenchidas por cores que indicam a proporção de brancos, pardos e pretos[2] que nelas residem, de acordo com os dados do Censo do...

Ilustração de D. Muste

Eduardo Cunha, ofensiva conservadora e caminhos para a esquerda

Marco Pestana Na última semana, enquanto dezenas de milhares de pessoas, em manifestações em defesa dos direitos das mulheres, levavam o “Fora Cunha!” às ruas de diversas capitais do país – com destaque para o Rio[1] e São Paulo[2] –, a cúpula do PT evitava se comprometer com um decisivo enfrentamento ao facínora que preside a Câmara dos Deputados[3]. Mais do que mera coincidência, essa situação de claro desencontro entre a ação do movimento social progressista e a postura...

Imagem por Humberto Tutti

A “Era” Hobsbawm (1917-2012)

Marco Pestana Em 1993, quando do falecimento de Edward P. Thompson, seu colega de longa data, Eric Hobsbawm, afirmou, em artigo para o The Independent, que “E.P. Thompson, historiador, socialista, poeta, ativista, orador, escritor – em seu tempo – da mais fina e polêmica prosa do século XX, provavelmente gostaria de ser lembrado pelo primeiro termo dessa lista”. Decorridos quase 20 anos da publicação daquele texto, chegada a vez do próprio Hobsbawm nos deixar nesse 1o de outubro de...

Ilustração de Marlon Anjos

A verdade é dura: a grande imprensa finge que faz autocrítica, mas ainda justifica a ditadura

Marco Pestana   “Você pagou com traição A quem sempre lhe deu a mão” (Jorge Aragão. Vou festejar, 1978)   A onipresença do slogan “A verdade é dura, a rede Globo apoiou a ditadura” nas mobilizações iniciadas em junho de 2013 levou a que, em 31 de agosto do mesmo ano, o jornal O Globo publicasse um editorial em que fazia a autocrítica (bastante limitada, diga-se de passagem) em relação ao seu apoio ao golpe que instalou a ditadura empresarial-militar em 1964...