Fotografia de Adria Meira

Ainda o sujeito histórico, ou outros sujeitos? Notas Introdutórias para o debate da esquerda socialista no Brasil

Marcelo Badaró Mattos Um dos problemas correntes entre a esquerda socialista reside em tentar contornar o significado da heterogeneidade da classe e das distintas experiências de opressão afirmando simplesmente a prioridade analítica ou política do conceito de classe sobre o de gênero ou raça, ou ainda defendendo que a exploração possui precedência sobre a opressão. Se o ponto de vista marxista implica compreender o capitalismo como totalidade dinâmica e contraditória, o desafio...

Ilustração de Marlon Anjos

O legado de Malcom X

Ahmed Shawki (Tradução de Alvaro Bianchi) A segregação racial não era a lei no Norte dos Estados Unidos depois da Segunda Guerra Mundial, mas era a realidade. Os negros do Norte encontravam o racismo e a segregação em praticamente todos os aspectos da vida. Os negros que deixaram o Sul viam-se forçados a viver em grandes guetos urbanos e educar seus filhos em escolas inferiores. Empregos qualificados ou profissões liberais eram reservados aos brancos. Os negros eram constantemente...

Ilustração Antonio Máximo

Onde capitalismo e racismo se cruzam: a segregação sócio-racial no Rio de Janeiro

Marco Pestana Em novembro de 2015, ganharam certa repercussão – sendo, inclusive, objeto de reportagem da BBC[1] – os “mapas raciais de pontos” da cidade do Rio de Janeiro, produzidos por Hugo Gusmão, estudante de graduação em Geografia da USP. Sinteticamente, os mapas consistem na divisão do território do município em pequenas áreas, as quais são preenchidas por cores que indicam a proporção de brancos, pardos e pretos[2] que nelas residem, de acordo com os dados do Censo do...

Ilustração de Juliana Lessa

Nós detonamos

Zandria (Tradução e adaptação Daniela Mussi) [No ultimo 8 de fevereiro de 2016, a cantora Beyoncé lançou inesperadamente uma nova música e novo videoclipe nas redes sociais. Formation [Formação] foi lançado no mesmo dia da realização de grande evento esportivo anual norteamericano, o Super Bowl, no qual a cantora também se apresentou. Assumindo como tema central a questão racial e social negra, a música e vídeo causaram impacto imediato na opinião pública dos Estados Unidos...

Fotomontagem de Diane Muste

Do que riem os humoristas “politicamente incorretos”?

 Romulo Mattos Aumentou nos últimos anos o público de profissionais que reivindicam e praticam um tipo de humor francamente reacionário, que tem como alvos prioritários os movimentos sociais e políticos das esquerdas, as classes pobres e as chamadas minorias. Com acesso à TV aberta, atuação em bons teatros e farta utilização de redes sociais, Rafinha Bastos e Danilo Gentili são os príncipes dessa vertente humorística eticamente questionável, que coleciona, por um lado, processos...

Ilustração de D. Muste

Nina Simone e o movimento black power

Alvaro Bianchi Já pode ser visto no canal Netflix o belo documentário da aclamada diretora Liz Garbus, What Happened, Miss Simone? Garbus já havia brindado o público com Bobby Fischer Against the World (2011) e novamente acerta a mão produzindo uma narrativa sensível e tensa sobre a vida da cantora e pianista Nina Simone. A diretora empenhou-se em construir uma imagem complexa e multifacetada, evitando as tentações da exaltação e da condenação fáceis. O contraponto entre os...