Ilustração D. Muste

Populismo e “desconsolidação” democrática

Rejane Carolina Hoeveler A idéia de que está em curso um declínio mundial da democracia tem repercutido cada vez mais na grande imprensa internacional. No final de 2016, a chamada “desconsolidação” democrática estampou manchetes no Washington Post e do New York Times, com enorme repercussão internacional. De acordo com as pesquisas de opinião analisadas por Roberto Stefan Foa e Yascha Mounk,[1] a proporção de jovens que acreditam ser essencial viver em uma democracia já é...

Imagem de Singh Bean

Empreendedorismo feminino: emancipação ou subordinação “voluntária”?

Rejane Carolina Hoeveler “Transformar a crise em oportunidade”. Esse virou um dos slogans mais batidos no Brasil e no mundo desde que os efeitos da crise econômica mundial de 2008 se alastraram, causando desemprego e desespero social. Variações dessa frase viraram propagandas comerciais, slogans de governos, manchetes na imprensa de negócios. E foi um dos motes prediletos de uma pequena indústria que de fato prospera, apesar da crise: a do estímulo ao...

Ilustração de Pierre Lapalu

PEC 241: de volta à terapia de choque

Rejane Carolina Hoeveler Quando o economista Milton Friedman viajou ao Chile do ditador Augusto Pinochet em 1975, apresentando-se como uma espécie de médico prescrevendo um receituário a um “país epidêmico”, ele clamava por um “tratamento de choque” para os problemas econômicos chilenos.[1] Alguns anos depois, o primeiro-ministro Egor Gaidar foi um dos artífices da transição russa a um capitalismo mafioso, conversão que ele chamava de “terapia de choque”. A jornalista...

Fotografia de André Rodrigues

Festa imodesta: notas sobre a cerimônia de abertura das Olimpíadas

  Romulo Mattos e Rejane Carolina Hoeveler A cerimônia de abertura das Olimpíadas 2016 foi um sucesso, em termos técnicos. Não houve falhas perceptíveis e, em certos momentos, os efeitos de projeção impressionaram. Porém, conceitualmente, a festa teve muitos pontos questionáveis, da trilha sonora ao brevíssimo discurso de Temer, passando pelos personagens e pelo tipo de discurso exaltado ao longo do espetáculo. A grande mídia foi tomada por um orgulho patriótico que não era...

Ilustração de Marlon Anjos

Quarenta anos de crise da democracia

  Rejane Carolina Hoeveler “Em si mesma, a marginalidade de parte de alguns grupos é inerentemente anti-democrática, mas também tem sido um dos fatores que tem permitido a democracia funcionar apropriadamente” (Samuel Huntington). Tóquio, março de 1975. Grandes empresários, intelectuais e políticos dos países mais ricos do mundo se reuniam para debater aquilo que o relatório escrito por Samuel Huntington, Michel Crozier e Joji Watanuki chamaram de “Crisis of Democracy” –...

Ilustração de Ricardo Flóqui

O Ministério “puro-sangue” de Temer: uma reorientação do aparato estatal

 Marco Pestana e Rejane Carolina Hoeveler Com o esgotamento do regime ditatorial instalado em 1964, marcado pelo longo processo de redemocratização, a transição para uma modalidade de dominação de classes assentada em uma ampliação da importância relativa do consentimento dos subalternos exigia a constituição de um aparato estatal capaz de expressar esse consentimento. Em especial, a crescente organização – e, em alguns casos, radicalização – de diversos movimentos e setores...