Ilustração de Marlon Anjos

A revolução dos camponeses de 1917

Sarah Badcock (Tradução de Renata Maffezoli.) Os camponeses foram atores que provocaram mudanças no jogo político em 1917. Eles definiram as respostas dos políticos para os desafios nacionais; eles produziram, controlaram e ditaram o suprimento de alimentos. Armados e fardados, os camponeses serviram como soldados, fazendo parte do poder político e rompendo com ele e, como a maioria dos residentes urbanos da Rússia, eles tiveram papéis centrais nas revoltas urbanas. No entanto, quando...

Ilustração de Antônio Máximo

Os dias de julho

Daniel Gaido (Tradução: Nicole Luy e Mozart Pereira) Em 1917, a Rússia tinha mais de 165 milhões de cidadãos, dos quais apenas 2,7 milhões viviam em Petrogrado. A capital tinha 390 mil trabalhadores fabris – sendo um terço de mulheres –, 215 a 300 mil soldados na guarnição, e cerca de 30 mil marinheiros e soldados estacionados na base naval de Kronstadt. Na sequência da Revolução de Fevereiro e da abdicação do Czar Nicolau II, os sovietes, liderados pelos Mencheviques e pelos...

Fotografia de Humberto Tutti

Violência e revolução em 1917

Mike Haynes (Tradução de Sergio Domingues e Fabiane Lontra) Vivemos em um mundo de violência e não podemos deixar de tratá-la politicamente. Em 1917, a violência da guerra espalhava-se por toda parte. Perto do final da sua História da Revolução Russa, Trotsky escreveu: “Não é notável que aqueles que falam com mais indignação sobre as vítimas da revolução social são geralmente os mesmos que, se não diretamente responsáveis pelas vítimas da Guerra Mundial, as prepararam e...

Fotografia de Luana Kava

Avaliando a social-democracia revolucionária: uma resposta a Duncan Hart

Eric Blanc (Traduzido por Marcio Lauria Monteiro) Antes de tudo, gostaria de agradecer ao camarada Duncan Hart por sua contribuição “Lições da Finlândia: Responda a Eric Blanc” [1]. Embora eu não compartilhe da sua análise, concordo que uma discussão séria sobre a Revolução Finlandesa é útil para os marxistas hoje. Embora algumas das críticas de Hart ao Partido Social-Democrata finlandês (SDP) sejam bem fundamentadas, argumentarei aqui que seu texto caracteriza de forma...

Bordado de Pedro João Cury

Lições da Finlândia: Resposta a Eric Blanc

  Duncan Hart (Traduzido por Marcio Lauria Monteiro) [Nota do revisor: O artigo de Eric Blanc, “A Revolução na Finlândia”, suscitou um interessante debate entre o militante socialista australiano, Duncan Hart, com o autor. Trata-se de uma discussão acerca dos sentidos da social-democracia e o Blog Junho, em parceria com o tradutor Marcio Lauria Monteiro, decidiu publicar o artigo de Hart e a réplica de Blanc, procurando assim mapear essa discussão.] O artigo de Eric Blanc, “A...

Ilustração de Isabel Fuchs

Os bolcheviques e o antissemitismo

Brendan McGeever (Tradução de Matheus Carvalho e Eustácia Soares.)  Manhã, 25 de outubro de 1917. Os trabalhadores ocupam pontos estratégicos nas ruas fustigadas pelo vento de Petrogrado. No Palácio de Inverno, o líder do Governo Provisório, Alexander Kerensky, aguarda ansioso pelo seu carro de fuga. Do lado de fora, a Guarda Vermelha controla a estação telefônica central. A tomada de poder por parte dos bolcheviques é iminente. Não há luz nem telefone no palácio. De sua janela...