Ilustração de Jaime Prades

A política das canções: Chico e Caetano como intérpretes do Brasil

Daniela Vieira dos Santos Nesse ensaio apresento um breve exercício interpretativo da matéria cantada de Chico Buarque e Caetano Veloso entre as décadas de 1960 a 1990, canções balizadas historicamente entre a ditadura civil militar e o advento do neoliberalismo no Brasil.[1] Pretendo demonstrar de que forma as canções sintetizam variados aspectos do processo de modernização da sociedade brasileira, pois Chico e Caetano são filhos da promessa modernista dos anos 1930 e do ideal de...

Fotografia de André Rodrigues

Festa imodesta: notas sobre a cerimônia de abertura das Olimpíadas

  Romulo Mattos e Rejane Carolina Hoeveler A cerimônia de abertura das Olimpíadas 2016 foi um sucesso, em termos técnicos. Não houve falhas perceptíveis e, em certos momentos, os efeitos de projeção impressionaram. Porém, conceitualmente, a festa teve muitos pontos questionáveis, da trilha sonora ao brevíssimo discurso de Temer, passando pelos personagens e pelo tipo de discurso exaltado ao longo do espetáculo. A grande mídia foi tomada por um orgulho patriótico que não era...