Ilustração de Mácia Teixeira

Feminismo marxista, alternativas políticas, histórias de bruxa: uma entrevista com Silvia Federici

George Souvlis e Ankica Čakardić (Tradução de Fernando Pureza)  Nesta entrevista exclusiva e inédita, a intelectual e ativista feminista italiana Silvia Federici falou de sua trajetória política, do engajamento na cultura antifascista ao contato com a luta das mulheres e o feminismo. A formação na cultura intelectual e política italiana e europeia, a vivência no ambiente acadêmico e ativista norte-americano, a experiência de aproximação com a América Latina. A entrevista...

Colagem de Singh Bean

Chacina de Campinas: um documento de barbárie

Daniela Mussi No badalar das últimas horas de 2016, muitos no Brasil respiravam aliviados o encerramento de um ano péssimo, marcado por golpes que desvelaram o abismo econômico, político, cultural e moral que draga lenta e dolorosamente o país. A chacina perpetrada em Campinas por um homem contra sua ex-companheira, seu filho e uma família inteira em plena virada de ano mostra, no entanto, que este alívio não passa de uma ilusão ou, quando muito, de um desejo latente de evadir-se de...

Ilustração  D. Muste

Entrevista com Morgane Merteuil: “a esquerda não reconhece as trabalhadoras do sexo”

(Tradução de Fernando Pureza) Nota dos Editores da LeftEast: Em 13 de abril de 2016 o governo francês promulgou uma lei que tornou ilegal o ato de pagar por sexo, após deputados terem aprovado a nova legislação depois de dois anos de vetos e oposições vindas do Senado. Sob essa nova lei, qualquer pessoa que seja pega em flagrante pagando por sexo, será multado e obrigado a ir em aulas sobre os malefícios da prostituição. Seis meses depois, de acordo com o sindicato francês de...

Ilustração de Celly Inatomi

“Under my thumb”: sexismo e opressão nos Rolling Stones

Isadora de Paula Salgado Enquanto o movimento feminista se fortalecia nos anos 1960, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, o rock fazia sucesso como um estilo musical que reafirmava estereótipos de gênero e naturalizava a misoginia.* Um exemplo disso é a banda britânica The Rolling Stones. Vale notar que o grupo já surgiu com um slogan sexista – proposto pelo seu produtor, Andrew Loog Oldham –, que tentava marcar uma imagem contrária à dos supostamente comportados Beatles:...

Colagem de Oadilos

A hora e a vez das mulheres párias

Daniela Mussi Em 2014, a historiadora grega e professora da Paris VIII, Eléni Varikas, teve o livro A escória do mundo. Figuras do pária traduzido e publicado no Brasil, com uma repercussão bastante localizada. O livro é resultado do desenvolvimento de uma pesquisa sobre o nascimento e a longevidade da metáfora do pária na cultura e pensamento político ocidental. Na cultura brasileira este termo não é muito usado: nos referimos a ele pejorativamente e vagamente para falar da...

Colagem de Singh Bean

As múltiplas capturas do 8 de março

Rejane Carolina Hoeveler “Todos os caminhos levam a Roma. Toda análise verdadeiramente marxista de uma parte importante da superestrutura ideológica da sociedade ou de um fenômeno social importante deve conduzir á análise da ordem burguesa e de sua base, a propriedade privada; cada uma dessas análises deve conduzir a esta conclusão; ‘É preciso destruir Cartago’”. (Clara Zetkin, 1920)[1] Desde 1975, o dia 8 de março é reconhecido pela UNESCO como Dia Internacional da...