Imagem por Marlon Anjos

“O dia que durou 21 anos” e o caráter anti-nacional do golpe de 1964

Demian Melo e Rejane Hoeveler Após 49 anos do golpe que depôs o governo João Goulart em 1964, surge mais uma contribuição cinematográfica ao quente debate sobre a ditadura militar brasileira. O dia que durou 21 anos foi dirigido por Camilo Tavares, filho do jornalista Flávio Tavares. Também co-roteirista, Flávio é um dos 15 presos políticos que foram trocados pelo embaixador americano Charles Elbrick, no sequestro organizado pela ALN e pelo MR-8 em 1969.[1] Trata-se de uma versão...