Ilustração de Jaime Prades

A política das canções: Chico e Caetano como intérpretes do Brasil

Daniela Vieira dos Santos Nesse ensaio apresento um breve exercício interpretativo da matéria cantada de Chico Buarque e Caetano Veloso entre as décadas de 1960 a 1990, canções balizadas historicamente entre a ditadura civil militar e o advento do neoliberalismo no Brasil.[1] Pretendo demonstrar de que forma as canções sintetizam variados aspectos do processo de modernização da sociedade brasileira, pois Chico e Caetano são filhos da promessa modernista dos anos 1930 e do ideal de...

Ilustração de Marlon Anjos

“Pra não dizer que não falei das flores”: usos e desusos de uma canção da revolução (1968-2016)

  Romulo Mattos I Ao tratar da apropriação do rock brasileiro pelos DJs das passeatas em prol do impeachment – os quais procurei representar por meio da fictícia figura do “DJ Coxinha” –, observei que a direita selecionava naquela produção musical o tema do nacionalismo e da indignação contra os abusos dos governantes brasileiros. No entanto, descartava a ambiência de esquerda em que tais registros sonoros estavam inseridos quando se tornaram conhecidos, assim como a...