Fotografia de Amalyn Malix

O que as eleições disseram sobre PT e PSOL?

Eric Gil O que muitos aguardavam nestas eleições era saber qual seria o desempenho do PT e do PSOL nas urnas. Enquanto se esperava um catástrofe vinda do Partido dos Trabalhadores, o contrário era previsto para o Partido Socialismo e Liberdade. Mas será que isto se concretizou? Primeiramente temos que discutir isto guardadas as devidas proporções de ambos os partidos. Enquanto o PT fez 6,8 milhões de votos para prefeito e 5,8 milhões para vereador, o PSOL somou 2,1 milhões e 1,3...

Ilustração de Antonio Máximo

A esquerda e a governabilidade: reflexões sobre a armadilha pemedebista

Joana Salém Vasconcelos “Isso não é democracia. É pacificação permanente.” (Paulo Arantes) Com este ensaio pretendemos discutir algumas implicações do golpe de 2016 para a esquerda brasileira, sobretudo no que diz respeito ao sistema partidário e aos limites da governabilidade no atual regime político. Vivemos um momento de ruptura autoritária. A bandeira da “legalidade democrática” foi erguida pelas esquerdas em defesa de parâmetros mínimos de democracia, como o respeito...

Colagem de D. Muste

O ponto a que chegamos: sobre a luta de classes na conjuntura do golpe de 2016

Marcelo Badaró Mattos A dinâmica dos tempos históricos não se orienta por caminhos muito lineares, nem se apreende por simples justaposições de análises sobre a longa duração das mudanças lentas e o ritmo mais acelerado dos acontecimentos conjunturais. O exercício de interpretação dos momentos de crise nos desafia a pensar sobre como as diferentes dimensões temporais dos fenômenos históricos se combinam em determinadas situações. Essa é sempre uma exigência para as análises...

Escultura de Alfi Vivern

Tempos difíceis

Alvaro Bianchi A Rede Globo deu o sinal. Primeiro José Roberto Marinho reuniu-se com nove senadores petistas no dia 5 de agosto. Condenou as “maluquices” de Eduardo Cunha e garantiu que quer ver a presidenta Dilma Rousseff ocupar seu posto até o final do mandato. Dos petistas Marinho ouviu reclamações e um alerta: se mexerem com Lula tudo pode acontecer. Depois veio a nota das federações das indústrias do Rio de Janeiro e São Paulo (Firjan e Fiesp) divulgada dia 6 de agosto exigindo...