Fotografia de Lyn Nascimento

Hegemonia em Coxinhalândia

  Ruy Braga Se a crise da globalização iniciada em 2008 foi um divisor de águas na política internacional, levando as classes dominantes do Norte global a recorrer ao intervencionismo estatal a fim de tentar estabilizar o sistema, a verdade é que, uma vez assegurado esse objetivo, elas voltaram à ofensiva sobre as classes subalternas com uma versão ainda mais crua do neoliberalismo. No mundo todo, os trabalhadores estão pagando a conta da crise por meio de rigorosos planos de...

Ilustração de Oadilos

O fim da hegemonia progressista e a virada regressiva na América Latina

Massimo Modonesi (Tradução: Fernando Pureza) A experiência dos chamados governos progressistas na América Latina (Argentina, Bolívia, Brasil, Equador, El Salvador, Nicarágua, Uruguai e Venezuela)[1] parece ter entrado em um ponto crítico que alguns autores chamaram de fim de ciclo, abrindo um debate sobre o caráter da conjuntura com fortes implicações estratégicas a respeito do futuro imediato.[2] De forma sintética, sustentarei a ideia de que, no sentido estrito, o ciclo não...