Fotografia de Erick Dau

O que houve com o rock político brasileiro?

Romulo Mattos A provocação do título diz respeito ao comportamento da geração dos anos 1980 nos atuais tempos do golpe e do movimento “Fora Temer”, em vias de crescimento. Aqui cabe uma ressalva: não se trata de revisitar os tipos ideais do reacionarismo roqueiro fornecidos por Lobão e Roger Moreira, que se tornaram folclóricos nesse sentido. Enquanto o primeiro lançou um álbum com o título inspirado no pensamento de Olavo de Carvalho, o outro chegou a ponto de questionar o...

Ilustração de Humberto Tutti

Roger Moreira: das Diretas às Indiretas Já

Romulo Mattos A trajetória de Roger Rocha Moreira chama atenção pela significativa mudança em relação ao ideal de democracia política. Na primeira metade dos anos 1980, o roqueiro foi autor de uma canção transformada em hino do movimento pelas Diretas Já, que aglutinou diferentes correntes a favor do direito de votar para presidente. Cerca de 30 anos mais tarde, o mesmo personagem se apresenta como um incentivador das passeatas golpistas da nova direita, que, inconformada com a...

Ilustração Marlon Anjos

O rock errou: Lobão, o pensador social da nova direita brasileira

Romulo Mattos Após décadas militando em prol de causas progressistas, Lobão iniciou seu giro à direita no ano de 2007, quando lançou o Acústico MTV, pela Sony & BMG. Além de abandonar a sua luta contra as gravadoras multinacionais,[1] foi trabalhar como apresentador de tal emissora, que influenciava fortemente a indústria fonográfica brasileira. No comando do Debate MTV, já era possível vê-lo interceder a favor de representantes do pensamento conservador. Atuou ainda como...

Ilustração Humberto Tutti

Blá, blá, blá… eu te amo: o namoro de Lobão com a esquerda brasileira

Romulo Mattos Lobão é um roqueiro tupiniquim consagrado nos anos 1980, que atualmente tem chamado muito mais atenção pelo conservadorismo de suas ideias do que pelas suas músicas. Este ensaio refletirá sobre o seu passado não tão distante assim, caracterizado por um intenso e fértil diálogo com a esquerda brasileira, quando o próprio se comportava como um militante do partidos e movimentos sociais de tal orientação política. Esse período sistematicamente ignorado pelo cantor e os...

Ilustração de D. Muste

Notas sobre “The Times They Are a-Changin’”, de Bob Dylan

Romulo Mattos Em outubro de 1963, Bob Dylan gravou “The Times They Are a-Changin’”, faixa-título do disco lançado em janeiro de 1964, nos Estados Unidos. A sua intenção era fazer um hino para as transformações históricas quem vinham ocorrendo no mundo e, particularmente, naquele país, onde o movimento pelos direitos civis dos negros ganhava intensidade até então inédita. Os músicos ligados ao estilo folk compartilhavam esses anseios por mudanças estruturais na sociedade...

Ilustração de D. Muste

“Que país é este”: a dupla historicidade de uma canção engajada do rock brasileiro

Romulo Costa Mattos Quando escrevi ao lado de Felipe Demier e do próprio guitarrista da Legião Urbana o livro Dado Villa-Lobos: Memórias de um legionário, ficou claro para os autores o quanto o ofício do historiador contribuiu para a pesquisa sistemática, a contextualização dos materiais artísticos, a checagem (e a conexão) das informações recebidas da memória do músico, o diálogo com a literatura disponível sobre o assunto e a confecção de uma narrativa que evitasse a...