Ilustração de Antônio Máximo

Os dias de julho

Daniel Gaido (Tradução: Nicole Luy e Mozart Pereira) Em 1917, a Rússia tinha mais de 165 milhões de cidadãos, dos quais apenas 2,7 milhões viviam em Petrogrado. A capital tinha 390 mil trabalhadores fabris – sendo um terço de mulheres –, 215 a 300 mil soldados na guarnição, e cerca de 30 mil marinheiros e soldados estacionados na base naval de Kronstadt. Na sequência da Revolução de Fevereiro e da abdicação do Czar Nicolau II, os sovietes, liderados pelos Mencheviques e pelos...

Fotografia de Humberto Tutti

Violência e revolução em 1917

Mike Haynes (Tradução de Sergio Domingues e Fabiane Lontra) Vivemos em um mundo de violência e não podemos deixar de tratá-la politicamente. Em 1917, a violência da guerra espalhava-se por toda parte. Perto do final da sua História da Revolução Russa, Trotsky escreveu: “Não é notável que aqueles que falam com mais indignação sobre as vítimas da revolução social são geralmente os mesmos que, se não diretamente responsáveis pelas vítimas da Guerra Mundial, as prepararam e...

Ilustração de Antônio Máximo

Mariátegui e a Revolução Russa

Sydnei Melo José Carlos Mariátegui (1894-1930) é certamente um dos intelectuais marxistas mais importantes que viveram na América Latina. Militante dedicado, e com uma espantosa produção periodística, o autor dos 7 ensayos de interpretación de la realidad peruana foi o principal responsável pela organização do movimento socialista no Peru: Mariátegui dedicou-se à criação de um projeto editorial voltado à formação política e cultural da classe trabalhadora local, materializada...

Ilustração de Mácia Teixeira

De fevereiro a outubro

Lars T. Lih  (Tradução: Daniela Mussi) Eu seu livro Inside the Russian Revolution [Por dentro da Revolução Russa], Rheta Childe Dorr descreveu sua primeira impressão na Rússia: “A primeira coisa que eu vi na manhã em que cheguei em Petrogrado (…) foi um grupo de jovens rapazes, mais ou menos uns vinte, marchando pela rua em frente ao meu hotel, carregando uma bandeira escarlate com uma inscrição em grandes letras brancas. ‘O que quer dizer’, perguntei ao comissário do...

Ilustração de Adria Meira

Partindo da Estação Finlândia

Yurii Colombo Tradução de Ângelo Régis e Raphael Boccardo Quando Vladmir Lenin chegou em Petrogrado, há cem anos atrás, saindo do famoso “trem blindado” que viajou da Suíça e cruzou a Alemanha, a situação russa, tanto internamente quanto nas frentes de batalha, parecia ter estabilizado. A trégua temporária entre o novo Governo Provisório e as massas rebeldes, contudo, deixou de lado o maior problema que havia dado início à Revolução de Fevereiro: a guerra. Quando as...

Ilustração de Flora Próspero

A História da Revolução de Fevereiro

Kevin Murphy  (Tradução de Raquel Siphone. Revisão técnica Fernando Pureza). Não foi coincidência que a greve mais importante da história mundial tenha começado com mulheres do setor têxtil em Petrogrado no Dia Internacional da Mulher de 1917, em 23 de fevereiro no antigo calendário juliano. Trabalhando treze horas diárias enquanto seus maridos e filhos estavam no front, estas mulheres estavam incumbidas de prover suas famílias e esperando nas filas durante horas, num frio abaixo...