Ilustração de Ricardo Flóqui

O Ministério “puro-sangue” de Temer: uma reorientação do aparato estatal

 Marco Pestana e Rejane Carolina Hoeveler Com o esgotamento do regime ditatorial instalado em 1964, marcado pelo longo processo de redemocratização, a transição para uma modalidade de dominação de classes assentada em uma ampliação da importância relativa do consentimento dos subalternos exigia a constituição de um aparato estatal capaz de expressar esse consentimento. Em especial, a crescente organização – e, em alguns casos, radicalização – de diversos movimentos e setores...